“Um homem deveria fazer seu trabalho tão bem que os vivos, os mortos e os não nascidos não poderiam fazê-lo melhor. Se lhe tocar ser um varredor de ruas, varra ruas como Michelangelo pintou quadros, como Shakespeare escreveu poemas, como Beethoven compôs música; varra ruas tão bem que todas as multidões do céu e da terra terão que fazer uma pausa e dizer: “Aqui viveu um grande varredor de ruas, e ele fez seu trabalho bem”.
Martin Luther King

Você sabe qual é o seu propósito de vida?

Propósito, é o talento especial de cada indivíduo, que o mundo aguarda ansiosamente para receber e para recompensar a pessoa com significado, plenitude e abundância.

O pregador estava se referindo a alguém totalmente envolvido com o que fazia. Alguém com propósito. A palavra propósito traz a ideia de razão, de porque algo existe. Isso nos remete à questão de por que existimos, qual o nosso propósito?

Nascemos pra fazer o que?

E isso envolve nossa vida como um todo, trabalho incluído, é claro. Principalmente trabalho, já que ele ocupa um espaço importante nas nossas vidas. Se você consegue desligar 100% da sua atividade profissional no seu lazer, é porque aquilo que você faz não dialoga com seu propósito de vida. Já parou para pensar nisso?

O que importa é ver a própria vida como um todo, sem separar a pessoal e a pública ou profissional, ou dever e prazer.

Um bom trabalho, portanto, não é apenas aquele que paga bem ou é relativamente fácil, mas aquele que significa alguma coisa, aquele que tem resultados claramente benéficos, aquele que apesar dos inevitáveis períodos de frustração se gosta de fazer.

A descoberta do propósito

Quando se descobre o propósito, isso se traduz na nossa relação com o trabalho, nesse caso retomamos o verbo operare, mantendo-lhe seu sentido de transformar para garantir a sobrevivência e, simultaneamente, revestindo-o de sacralidade, fazendo-o habitado pelo prazer, pela entrega, pela magia, como o fazia o homem primitivo.

Fazer deixa de ser profano e se torna sagrado quando quem o faz encontra-se inteiro no que faz, presente e atuante, quando não há mais diferenciação entre manhã, tarde e noite; entre dia da semana e final de semana; quando não há preguiça, hesitação, sacrifício.

Diferença de metas e propósito

Entretanto as metas e os propósitos de uma prática, embora necessariamente vinculados, não são a mesma coisa. A meta de um jogo de
paciência, por exemplo, é abrir todas as cartas sobre a mesa, segundo certas regras de procedimento e em certa ordem.

O propósito do jogo, em geral, é passar o tempo. Assim também, o objetivo imediato de um jogo de futebol é fazer a bola cruzar a linha do gol adversário, mas o propósito do jogo pode ser desfrutar uma tarde de domingo com os amigos, manter-se em forma ou, no caso atípico, ganhar algum dinheiro.

As metas, podemos dizer, são intrínsecas à prática. O propósito é a razão para envolver-se nela.

Os lucros em si não são a finalidade ou a meta da atividade empresarial: os lucros são distribuídos e reinvestidos. Eles são um meio para desenvolver os negócios e recompensar empregados, executivos e investidores.

Alvaro Loro – Psicólogo e Stotryteller

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *